23 de agosto de 2015

Geografia Bíblica - As rotas internacionais no Antigo Oriente

geografia-biblica-antigo-testamento
As estradas principais desempenharam um papel muito importante na história da Terra Santa. As povoações da Palestina se localizam nas encruzilhadas do Antigo Oriente. A rota mais importante era a estrada que ia da Mesopotâmia ao Egito, e nela fundaram-se destacados centros políticos. Desde os primeiros tempos as caravanas comerciais viajavam pelas principais estradas, levando seus produtos, objetos preciosos e artigos de luxo. Prover as necessidades das caravanas e a sua segurança tornou-se uma fonte constante de renda. Essas estradas, porém, não eram abertas apenas pura o comércio: campanhas e conquistas militares também as palmilharam no decurso da História, deixando na sua esteira destruição e desolação. Na maioria dos períodos, a Terra Santa foi dominada por poderes estrangeiros, do norte ou do sul, que procuravam principalmente tomar posse dessas rotas.


O relevo montanhoso da Palestina dita o curso das estradas. A principal rota internacional que liga o Egito com o norte da Síria e a Mesopotâmia, atravessa a Palestina de sul a norte, seguindo a linha costeira ao sul até alcançar a barreira de Nahal Kanah (Nahr el-'Auja), onde era obrigada a se desviar para o leste, a fim de rodear Afeque. A seguir, circundava a extremidade leste da Planície de Sarom ao norte e passava para o vale de Jezreel, pelo vale de Aruna em direção a Megido, ou via vale de Dotã. Dali, ela provavelmente passava por Bete-Seã, seguindo para o norte até Azor e o Beca Libanês, ou atravessava o Jordão até Damasco. O segmento do Egito, através do Sinai, era chamado "caminho do deus Horus" pelos egípcios e certa vez foi chamado "caminho para a terra dos filisteus" (Ex 13-17). A não ser por esses exemplos, a grande rota-tronco internacional não é citada na Bíblia ou em fontes extrabíblicas, romanas e outras.

A segunda grande rota era a estrada Real (Nm 21.22), que passa pelo país montanhoso da Transjordãnia, junto ao deserto. É uma rota secundária que vai de Damasco ao Egito, estando a sua importância no fato de as estradas para a Arábia serem ramificações suas. Existiam várias outras estradas secundárias, locais, usadas largamente pelo tráfego local. Em caso de necessidade, elas também serviam como alternativas às caravanas do comércio internacional. Os mapas mostram
apenas as rotas mais importantes, especialmente as citadas pelo nome na Bíblia

Subiremos pelo caminho igualado; eu com o meu gado
bebermos das tuas águas, darei o preço delas...
(Números 20.19).

 antigo-testamento-danilo-moraes  

AHARONI, Yohanan et al. Atlas Bíblico. Rio de Janeiro : CPAD, 1999.