20 de dezembro de 2013

Roland de Vaux - Os elementos da população livre: Os assalariados

Além dos escravos, dos quais trataremos no capítulo seguinte, havia trabalhadores assalariados, homens livres que eram contratados para um trabalho determinado, por certo tempo e com uma retribuição combinada. Os estrangeiros residentes ou de passagem ofereciam assim seus serviços, Ex 12.45; Lv 22.10; Dt 24.14, como Jacó o havia feito na casa de Labão, Gn 29.15; 30.28; 31.7. Mas o empobrecimento de algumas famílias e a perda de suas bens forçaram um número crescente de israelitas a trabalhar por salário, cf. 1)124.14. Em época antiga contratavam-se, sobretudo, a trabalhadores agrí¬colas. Trabalhavam como pastores, Am 3.12, como segadores ou vindimadores, talvez Rt 2.3s; II Rs 4.18; cf. Mt 20.Is. Podiam ser contratados por um dia, como “diarista”, Lv 19.13; Dt 24.15; cf. Mt 20.8, ou ao ano, Lv 25.50-53; Is 16.14; 21.16; Eclo 37.11.


O Antigo Testamento não dá informações diretas sobre o valor do salá¬rio. Na Mesopotâmia, os trabalhadores eram pagos em espécie ou em dinhei¬ro. Segundo o Código de Hamurabi eles recebiam um siclo de prata ao mês durante a estação de muitos serviços e um pouco menos o resto do ano, mas alguns contratos estipulam valores muito inferiores. Com o Código de Hamurabi, que prevê dez siclos como salário anual, se comparará Jz 17.10 e o difícil texto de Dt 15.18, que pode ser interpretado assim: um escravo que serviu seis anos produziu a seu dono o dobro de seu valor, conforme a tarifa de um assalariado; o valor de um escravo era, efetivamente, de trinta siclos, ftx 21.32. Os trabalhadores do Evangelho, Mt 20.2, recebiam um denário, o que representa muito mais, mas seria ilusório comparar os preços entre duas épocas tão distantes.

A verdade é que a situação dos assalariados era pouco invejável, Jó 7.1 -2; 14.6, e havia patrões injustos que não lhes davam nem o que era devido, Jr 22.13; Eclo 34.22. Pelo menos usufruiam de certa proteção legal: Lv 19.13 c Dt 24.14-15 prescrevem que se pague aos diaristas ao entardecer, cf. Mt 20.8, c os profetas os defendem contra a opressão, Jr 22.13; Ml 3.5; Eclo 7.20.

VAUX, Roland de. Instituições de Israel no Antigo Testamento. Editora Teológica, 2003.