18 de julho de 2013

Gleason L. Archer - As Três Principais Festas do Ano Hebreu (Levítico 23)


A. A Páscoa (pesah) e a Festa dos Pães Asmos (massõt) (w. 4,5)
1. A Páscoa: na tarde do dia quatorze de Abibe (o primeiro
mês)
a. Propósito: comemorar a libertação de Israel do cati-
veiro no Egito.
b. Ritual: o cordeiro é morto, e seu sangue se asperge
com hissôpo nas ombreiras das portas, e depois o
ofertante e sua família comem o cordeiro assado (Dt
16:5,6 especifica que, depois de Deus ter escolhido
uma cidade santa, a Páscoa passaria a ser celebrada
ali somente).
c. Significado típico: a crucificação de Cristo (I Co 5:7). 


2. Ritual: santa convocação (contando como um sábado).
Oferta movida de dois pães de farinha de trigo sem leve-
dura; holocaustos (sete cordeiros, um boi, dois carneiros);
oferta pelo pecado (cabrito); oferta pacífica (dois cordei-
ros machos). Na própria convocação, mais um holocausto
e uma oferta pelo pecado (Nm 28:27).

3. Significado típico: a descida do Espírito sobre a Igreja
neotestamentária (Atos cap. 2).
A. Festa de Tabernáculos (sukkõt): dia 15 até 22 de Tisri (o sé-
timo mês)

1. Propósito: comemorar as peregrinações no deserto e re-
gozijar-se na completação de todas as colheitas (cereais,
frutas, vindimas).

2. Ritual: convocações nos dias 15 e 22 (ambas contando
como sábados). Holocausto (13 bois no primeiro dia, di-
minuindo para sete, no último; dois carneiros, quatorze
cordeiros) e uma oferta pelo pecado (um cabrito) (Nm
29). Os que celebravam a festa deviam morar em tendas
de ramos, comendo frutas: com o ethrog ou cidra numa
mão, e o lulab, o feixe de ramos na outra (palmeiras e
salgueiros).

3. Significado típico: aparentemente, prenunciar a paz e
prosperidade do futuro reino milenar (cf. Zc 14:16).

Fonte: ARCHER, Gleason L. Merece Confiança o Antigo Testamento? 4º ed. São Paulo : Vida Nova, 2003.