28 de junho de 2013

Roland de Vaux - Evolução da organização tribal em Israel

Ao utilizar as analogias do nomadismo árabe para esclarecer a organiza¬ção primitiva de Israel, é importante notar que os documentos bíblicos não permitem em nenhum momento captar a vida tribal em estado puro. As tradições sobre os Patriarcas referem-se a famílias, ou, no máximo, a clãs; e deve- se reconhecer que os relatos sobre a estada no deserto e sobre a conquista de Canaã foram geralmente esquematizados de forma favorável a “todo o Israel” e em detrimento da individualidade das tribos. A melhor época para o estudo é a dos juizes, onde vemos as tribos vivendo e agindo ora isoladamente, ora em conjunto. Mas exatamente nessa ocasião, as tribos não têm chefes individuais, a autoridade é exercida pelos Anciãos e sente-se que o clã, a inishpahah, vai se tornar a unidade social mais estável. Isto significa que a organização tribal começa a se dissolver. É o preço da sedentarização: a tribo torna-se pouco a pouco uma unidade territorial, que se subdivide.


Este é, na realidade, um fato corriqueiro. O Califa Omar I lamentava que os árabes instalados no Iraque tinham adquirido o hábito de se chamarem não mais segundo seus ancestrais mas segundo suas aldeias. Hoje em dia, alguns beduínos semi-sedentários da Palestina se designam segundo sua residência atual: os Belqaniyeh do Belqa, os Ghoraniyeh do Ghor etc.; ou segundo seu lugar de proveniência: os Haddadin de Ma’in, originários de Kh. Haddad etc. Da mesma forma, no cântico de Débora, Jz 5.17, a “tribo” de Gileade tem um nome de país, e alguns autores atribuem um valor geográfico aos nomes de outras tribos israelitas. Podemos notar também que as bênçãos de Jacó, Gn 49, e de Moisés, Dt 33, fazem freqüentes alusões ao território que as tribos habitavam.

A própria distribuição territorial das tribos será modificada pela organi¬zação administrativa da monarquia. Certamente, será mantida a lembrança de pertencer a uma tribo, mas a unidade social que se manterá e onde os costumes antigos, em certa medida, se perpetuarão, será o clã. No quadro da vida seden¬tária o clã será representado pela aldeia, e em muitas genealogias de Crônicas, nomes de aldeias substituirão nomes de ancestrais.

VAUX, Roland de. Instituições de Israel no Antigo Testamento. Editora Teológica, 2003.